Fundación Joaquín Díaz

Presentación internacional






A fundação Joaquín Díaz, foi fundado em 1985, como resultado de um acordo entre a Deputação de Valladolid e o folclorista Joaquín Díaz, onde ele mesmo, se comprometeu a emprestar a sua colecção (gravados de trajos, "pliegos de cordel", biblioteca de livros, biblioteca de gravações e instrumentos) e tem-nos expostos na mansão do século dezoito, propriedade da Instituição Provincial em Uruenha.
O mesmo edifício foi inaugurado em Março de 1991 e desde então, tem aberto as suas portas para os investigadores, tanto como, para as pessoas interessadas ou curiosas, que visitam as salas de exposição do Museu.

Biblioteca e Arquivo de Som

A Biblioteca (mais de 25.000 livros) especializa-se na tradição oral (cancioneiros, romanceiros, contos infantis, lendas, refrães, ditos, adivinhas, trava-línguas, literatura popular, etc). Também contém livros sobre arte e ofício, calcografia, trajos, teatro popular, instrumentos, danças, jogos, agricultura, etnografia, arquitectura, contos locais, etc.
O Arquivo de Som e Biblioteca de Vídeo contém 25.000 registos de trabalho de terreno principalmente feito em Valladolid e nas províncias de Castilla e León, à parte de uns 1.500 discos de música folclórica de todas as partes do mundo.

Museu de Instrumentos Musicais

Alberga a mais extensiva e compreensiva colecção de instrumentos musicais tradicionais de Castilla e León, composto por 1.200 peças feito por artesãos eu luthiers ou doados por coleccionadores.
A colecção está dividida em quatro famílias convencionais de instrumentos (aerofónios, idiofónios, cordofónios e membranofónios). Também existe um vídeo que mostra várias interpretações feitas por instrumentistas tradicionais, dos quais alguns já falecidos.

Pliegos de Cordel

Por volta de duzentas músicas, romances e documentos, principalmente dos séculos dezanove e vinte, escolhidos entre os mais de três mil exemplares guardados na Biblioteca, estão expostos em onze quadros de acordo com os temas mais usuais: aventuras, crimes, religião e superstição, acontecimentos sensacionais, etc. Os "pliegos" foram imprimidos por tipográficos vindos de todas as partes do pais ("El Abanico", "Universal", "Rodas", "Norte", "Santarén", etc) e carregados de um lado para outro por cantores cegos, traficantes e vendedores ambulantes.

Gravados de Trajos Tradicionais

Estão representados mais de cem gravados, escolhidos entre as quase dois mil ilustrações guardadas no Centro. Representam homens e mulheres das nove províncias de Castilla e León, vestidos de trajos comuns e festivos.
Os gravados foram obtidos de livros de viagem, colecções de esboços e publicações artísticas imprimidos em Espanha, França, Inglaterra, Alemanha e Itália durante os três últimos séculos.






Fundación Joaquín Díaz

Presentación internacional